Dicas

Conheça 6 livros que toda mulher deveria ler e se inspirar

9 de março de 2021
7 min min de leitura
Conheça 6 livros que toda mulher deveria ler e se inspirar

Em homenagem ao dia da mulher, reunimos 6 livros que toda mulher deveria ler para reconhecer a sua importância no mundo e aprofundar seus conhecimentos sobre a luta pela igualdade de gênero.

A literatura nos traz muitos benefícios, através de histórias fictícias ou reais, podemos questionar nosso papel na sociedade e compreender as mudanças que ainda precisamos conquistar.

Vamos juntas nos empoderar ainda mais através da leitura? Acompanhe esse artigo e conheça um pouco mais sobre algumas histórias inspiradoras.

  1. Sejamos todos feministas – Chimamanda Ngozi Adichie

O livro “Sejamos todas feministas” de Chimamanda Ngozi Adichie, usa um discurso simples e didático, e aborda o feminismo de um modo geral, não apenas para as mulheres. A autora nos ajuda a perceber como o machismo afeta a sociedade por inteiro.

No livro ela cita exemplos de situações que passou sendo uma mulher na Nigéria. Situações essas que também são vividas por muitas mulheres no Brasil.

Confira as 10 citações do livro “Sejamos Todos Feministas”:

“Se repetimos uma coisa várias vezes, ela se torna normal. Se vemos uma coisa com frequência, ela se torna normal.”

“A pessoa mais qualificada para liderar não é a pessoa fisicamente mais forte. É a mais inteligente, a mais culta, a mais criativa, a mais inovadora. E não existem hormônios para esses atributos.”

“Perdemos muito tempo ensinando as meninas a se preocupar com o que os meninos pensam delas. Mas o oposto não acontece.”

“Os nigerianos foram criados para achar que as mulheres são inerentemente culpadas.”

“O problema da questão de gênero é que ela prescreve como devemos ser em vez de reconhecer como somos.”

“E se criássemos nossas crianças ressaltando seus talentos, e não seu gênero? E se focássemos em seus interesses, sem considerar gênero?”

“Decidi parar de me preocupar por ser feminina. E quero ser respeitada por minha feminilidade.”

“O feminismo faz, obviamente, parte dos direitos humanos de uma forma geral – mas escolher uma expressão vaga como ‘direitos humanos’ é negar a especificidade e particularidade do problema de gênero”

“A cultura não faz as pessoas. As pessoas fazem a cultura. Se uma humanidade inteira de mulheres não faz parte da cultura, então temos que mudar nossa cultura.”

“A meu ver, feminista é o homem ou a mulher que diz: ‘Sim, existe um problema de gênero ainda hoje e temos que resolvê-lo, temos que melhorar’. Todos nós, mulheres e homens, temos que melhorar”

2. O conto da aia – Margaret Atwood

Escrito em 1985, “O conto da aia” é um romance distópico, repleto de significados. O livro nos faz imaginar um mundo onde as mulheres perdem todos os seus direitos e são rotuladas pela sua capacidade de ter filhos.

O livro se passa em uma ditadura, voltada principalmente as privações femininas e a todos aqueles do sexo masculino que também possuem pensamentos e/ou atitudes contrárias as permitidas naquele cenário.

3. Mulheres que correm com lobos – Clarissa Pinkola Estés

Publicado originalmente em 1992, o livro “Mulheres que correm com lobos”, de Clarissa Pinkola Estés, é composto por 19 mitos, lendas e contos de fada.

A autora reconta diversos mitos populares e busca relações através dessas histórias com a condição feminina mais primitiva e as opressões que foram submetidas ao longo da história.

O livro vem gerando debates referentes aos problemas sociais, que envolvem principalmente as mulheres. Medo, depressão, fragilidade, entre outros problemas, são sintomas cada vez mais frequentes entre as mulheres modernas, assoberbadas com o acumulo de funções na família e na vida profissional.

4. Extraordinárias: Mulheres que revolucionaram o Brasil – Aryane Cararo e Duda Porto de Souza

O livro “Extraordinárias: Mulheres que revolucionaram o Brasil” apresenta 44 histórias de mulheres brasileiras, cuja vivência foram marcadas pela coragem de violar as regras quando necessário e usá-las a seu favor para defenderem o que acreditavam. Mulheres revolucionárias, de etnias e regiões variadas, que viveram desde o século XVI até a atualidade.

Carregado por uma beleza ímpar em suas ilustrações e histórias cheias de vida e luta, a leitura nos faz conhecer mulheres incríveis e detalhes que ficaram esquecidos.

“O que todas essas mulheres têm em comum? A força extraordinária para lutar por seus ideais e transformar o Brasil.”

5. Mulheres, mitos e deusas – Martha Robles

Escrito em 1996, “Mulheres, mitos e deusas” é um trabalho riquíssimo com histórias e origens de figuras femininas, sejam elas reais ou mitológicas, desmitificando as informações sobre elas.

“Algumas mulheres conheceram o céu, outras o inferno; umas foram enaltecidas, santificadas, outras demonizadas; mas todas tocaram as profundezas do próprio ser, chegaram ao limite de sua condição e de seu tempo e se eternizaram na história. Ao tomar contato com a história e os dilemas vividos por figuras como Afrodite, Cinderela, Simone de Beauvoir e Virginia Woolf, a autora nos guia em uma viagem de resgate da essência perdida ao ressignificar o papel feminino no mundo.
O livro revela uma análise inteligente dos arquétipos, dos mitos e das lendas construídos em torno da mulher, demonstrando como eles acabaram por reafirmar o machismo na cultura ocidental.”

6. Anne de Green Gables – L. M. Montgomery

Anne é uma menina órfã, adotada por engano por um casal de irmãos de Green Gables, que gostariam de adotar um menino. A história se destacou nos últimos meses através da Netflix, que lançou uma série inspirada no livro.

Anne é uma garotinha a frente de sua idade e seu tempo, cheia de vida e de palavras. Com muita personalidade, ela adora se exaltar pelo mundo, com toda sua imaginação e energia. Sua história é cativante, sobre amor, família, amizade e lealdade.

O livro nos convida a pensar e enxergar a vida com o otimismo e beleza de Anne. Apesar de viver momentos desagradáveis, ela consegue dar a volta por cima e seguir em frente.

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *